Como Perder Gordura Abdominal – Dicas Reais de Perda de Peso que Funcionam

O fácil acesso a alimentos convenientes sem o incômodo da preparação pode muito bem ser o motivo da crescente tendência da obesidade. A onipresença dos restaurantes de fast food que oferecem refeições instantâneas com bebidas carbonatadas adoçadas e outros lanches de alta caloria incentivou padrões alimentares anormais por todas as horas do dia. Alimentos processados ​​ricos em aditivos químicos e estilos de vida sedentários tornaram o estilo de vida ocidental o menos saudável do mundo.

Em um relatório da UE apoiado pelo próprio National Health Service (NHS), foi demonstrado que 24% das mulheres britânicas estavam acima do peso, em comparação com apenas 15,6% na Alemanha, 12,7% na França e apenas 9,3% na Itália. Este relatório levantou preocupações sobre a tendência da obesidade entre mulheres mais jovens no Reino Unido, que quase dobrou na última década.

Métodos de perda de peso testados pelo tempo

A melhor maneira de perder peso não é necessariamente a mais rápida. Com todas as tendências de dieta, acessórios e suplementos disponíveis no mercado, somos bombardeados por depoimentos de pessoas com abdômen tanquinho apoiando a última dieta da moda. Eles juram como foi eficaz para eles e como estão divertindo-se em suas vidas.

Verdade seja dita, quem não gostaria de um abdômen tanquinho? Infelizmente, os ganhos a curto prazo são difíceis de sustentar, a menos que o indivíduo realmente decida tomar a decisão pessoal de querer viver uma vida saudável.

A melhor abordagem para perder peso é escolher um sistema que, uma vez iniciado, possa ser sustentado a longo prazo. Abaixo estão algumas dicas que você pode incorporar lentamente em suas atividades diárias. Se você já as pratica, parabéns! Caso contrário, ainda não é tarde para tentar:

1. Pratique a Alimentação Consciente – Recentemente, o Journal of Nutrition Education and Behavior revelou que os indivíduos ainda podem perder peso, mesmo se comerem fora.

Pesquisadores da Universidade do Texas observaram 35 mulheres saudáveis ​​na pré-menopausa que comiam fora com frequência. Os participantes do estudo participaram de um programa de seis semanas. O foco deste programa foi prevenir o ganho de peso e não a perda de peso. Os resultados dos testes revelaram que os participantes do grupo de intervenção perderam mais peso, apresentaram menor porcentagem de gordura e menor ingestão calórica média diária e experimentaram maior autoeficácia no controle da dieta ao comer fora.

A mensagem aqui pode ser simplesmente comer com moderação ou não comer em excesso. Privar-se da sua comida favorita pode não ser mais necessário se você reduzir sua porção normal para uma porção menor, para que seu corpo a queime mais rapidamente e evite o ganho de peso.

2. Aprenda a lidar com o estresse – O estresse, especialmente o estresse relacionado ao trabalho, aumenta as chances de obesidade. Pesquisadores da Universidade de Rochester estudaram as causas e soluções para a obesidade em funcionários de uma fábrica em Nova York. O estudo analisou 2800 funcionários profissionais do sexo masculino e descobriu que aqueles em posições mais estressantes tinham um IMC maior do que aqueles em empregos menos exigentes.

A mesma descoberta também é válida para as mulheres. Em 2000, um estudo realizado pela Universidade de Yale mostrou que mulheres sem excesso de peso e vulneráveis ​​aos efeitos do estresse tinham maior probabilidade de ter excesso de gordura abdominal com níveis mais altos de cortisol, um hormônio relacionado ao estresse. Estudos mostraram que o cortisol pode afetar a distribuição de gordura, fazendo com que ela seja armazenada no abdômen ao redor dos órgãos.

3. Beba bastante água – Estudos recentes mostraram agora que a água potável é uma estratégia eficaz de perda de peso. Em um estudo, descobriu-se que as pessoas em dieta que bebiam água antes de comer três vezes ao dia ao longo de aproximadamente três meses perdiam cinco quilos a mais do que aquelas que não tinham aumentado o consumo de água. A água não tem calorias e consumi-la antes das refeições gera menos espaço para a alimentação no estômago.

Os pesquisadores também observaram que consumir água era melhor do que refrigerantes e outras bebidas açucaradas, que são carregadas de açúcar ou adoçantes artificiais, aditivos que contribuem fortemente para o ganho de peso.

Além disso, sugere-se que seis a oito copos de água sejam tomados diariamente para manter o conteúdo de água da bile, de acordo com Michael Murray e Joseph Pizzorno, em seu livro “The Encyclopedia of Healing Foods”. Frutas frescas, água pura e sucos vegetais são os métodos preferidos para atender às necessidades de água do corpo.

4. Durma bastante – Não dormir o suficiente pode aumentar suas chances de ficar acima do peso a longo prazo. Um estudo recente da Universidade de Uppsala revelou que a resposta do cérebro à comida é mais ativa após uma noite mal dormida.

Pesquisadores da Universidade de Uppsala juntamente com pesquisadores de outras universidades europeias estudaram o cérebro de 12 homens com pesos normais, enquanto os sujeitos visualizavam imagens de alimentos. Eles examinaram regiões do cérebro envolvidas com a sensação de apetite usando imagens magnéticas e compararam os resultados após uma noite de sono normal e após uma noite sem dormir. De acordo com Christian Benedict, o principal pesquisador do estudo, “após uma noite de total falta de sono, esses homens mostraram um alto nível de ativação em uma área do cérebro envolvida no desejo de comer“.

O sono insuficiente parece ser um problema que atormenta a sociedade moderna. Ser capaz de dormir pelo menos oito horas por noite pode ser crucial para manter a saúde e evitar condições cardiovasculares e relacionadas ao peso.

5. Exercite-se – Em um estudo publicado no Journal of American College of Cardiology, manter os níveis de peso e condicionamento físico à medida que envelhecemos pode ser suficiente para obter benefícios significativos.

De acordo com Duck-chul Lee, principal pesquisador do estudo, se você estiver acima do peso, perder peso e melhorar sua forma física pode ser a melhor combinação para a manutenção da saúde. O estudo descobriu que pessoas que mantiveram ou melhoraram seus níveis de condicionamento físico reduziram o risco de colesterol alto, pressão alta e risco de síndrome metabólica (um termo usado para se referir a um grupo de fatores de risco para doenças cardíacas, como nível não saudável de colesterol, obesidade abdominal e alto nível de açúcar no sangue.)

No início, as pessoas com excesso de peso geralmente não percebem sua perda de peso porque ficam com mais fome e começam a comer mais. Isso não deve desencorajá-los, de acordo com o Dr. Lee. O essencial é usar o exercício para entrar em forma, e uma maneira de decifrar o progresso é ver como você se sente ao passar por sua rotina de exercícios. Se está ficando mais fácil, você está ficando mais apto.

Não aceite a solução rápida

A melhor maneira de perder peso não é necessariamente a maneira mais rápida. Recorrer a dietas da moda pode não ser viável a longo prazo, especialmente se nenhum exercício for incorporado ao programa. Além disso, se a moderação na ingestão de alimentos não for aprendida, o sujeito poderá estar sujeito a episódios excessivos, levando à recuperação de mais peso do que o que foi originalmente perdido.

Qual é então a melhor estratégia para quem procura sinceramente um autêntico programa de perda de peso?

A melhor estratégia deve ser algo que possa ser sustentado a longo prazo. As cinco dicas oferecidas acima podem ser incorporadas a qualquer estilo de vida, sem nenhum custo para o indivíduo. Isso pode produzir alterações incrementais que acabam resultando no resultado desejado: uma opção melhor para perda de peso do que correções rápidas que fornecem apenas alívio temporário.

Leia mais:

Como Usar o Gengibre para Combater a Gordura Abdominal

Fontes:
Natural News: How to lose belly fat – real weight loss tips that work

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *